Varejistas Reconhecem que Tecnologias Móveis Ajudam a Reduzir Custos

Estudo encomendado pela Motorola Solutions mostra que mercado de varejo acredita que atendimento pode melhorar com uso de inovações tecnológicas

A Motorola Solutions, provedora líder mundial em soluções e serviços de comunicação de missão crítica para governos e empresas, apresenta os resultados finais do estudo do mercado varejista brasileiro realizado pela Business Marketing Solution (BMS) a pedido da empresa. A análise teve como objetivo diagnosticar as tecnologias mais utilizadas e também reconhecer quais são suas capacidades de expansão. Dessa forma, foi possível entender se o setor está preparado para atender consumidores cada vez mais exigentes.

Os dados indicam que a maioria das empresas consultadas reconhece que o uso de soluções tecnológicas traz benefícios em diversos setores. Para 94% dos participantes, o emprego da tecnologia móvel ajuda a reduzir os custos. Mais de 98% dizem que o uso desses recursos permite melhorar a produtividade, enquanto 96% acreditam que o atendimento ao cliente também é impactado positivamente pela utilização de equipamentos tecnológicos. Dentre as empresas entrevistadas, as do Rio Grande do Sul são as que afirmam mais utilizar essas novas tecnologias.

O estudo foi realizado com 300 empresas varejistas no Brasil, dos segmentos de drogarias, eletroeletrônicos, supermercados, materiais de construção, lojas de departamentos e vestuário, que possuem no mínimo seis lojas. Os principais temas abordados foram as tecnologias de automação utilizadas nos caixas, gestão de logística e estoques, entrega de mercadorias, comunicação entre funcionários, entre outros.

PONTOS IMPORTANTES

• 78% das empresas consultadas utilizam leitores de código de barras na frente de caixa, e 61% desses aparelhos são fixos.
• Atualmente, 88% das empresas utilizam redes sem fio, e dos 12% que ainda não possuem wi-fi 9% pretendem implantar. Na Grande Porto Alegre, 100% das empresas consultadas já contam com o serviço.
• Das empresas ouvidas, 49% utilizam coletores de dados para fazer inventários, 39% no centro de distribuição, 30% no depósito e 20% para outras funções dentro das lojas.
• Em relação a entrega, 45% das companhias utilizam coletores de dados nos processos logísticos de distribuição de mercadorias para as lojas; 19% das empresas que não adotam esse sistema pretendem implementá-lo futuramente.
• Na capital paulista, 33% das empresas utilizam sistemas de automatização para agilização de filas nos caixas. Entre os que não utilizam, 14% pretendem implementar.
• No Estado de São Paulo, 28% das empresas utilizam sistemas de rádio para que os funcionários possam se comunicar. No Rio de Janeiro, o índice cai para 22%, e no Paraná, para 17%.
• 45% das empresas consultadas no Estado do Rio de Janeiro informaram que utilizam leitores de código de barras em seus centros de distribuição, enquanto 41% usam para a verificação de preços nas lojas.
• No interior do Paraná, 59% das empresas têm processos logísticos de distribuição de mercadoria automatizados com coletores de dados. Na grande Curitiba, esse número sobe para 75%.
• Entre as empresas consultadas, 49% já ouviram falar da tecnologia RFID, e entre as quais 4,73% declararam utilizar, mas entre as que não possuem a tecnologia, 36% pretende implantar.
• Na Região Centro-Oeste , 90% das empresas consultadas utilizam leitores de código de barras nos caixas, e 60%, nos centros de distribuição. No Nordeste, esse número é de 84% para a frente de caixas e 54% nos centros de distribuição.

DEPOIMENTO

“As constantes inovações tecnológicas afetam diretamente a forma de atuação do mercado varejista. É importante conhecer o impacto dessas mudanças e também a disposição das empresas em aceitá-las. Esse estudo permite que a Motorola Solutions reconheça as tendências e demandas do mercado, para então desenvolver e oferecer soluções que atendam às expectativas do consumidor, de acordo com as necessidades de cada região”, analisa Silaine Benzobás, gerente de vendas de mercados verticais da Motorola Solutions Brasil.

Histórico do estudo e metodologia

A primeira parte do estudo “O Futuro do Varejo” foi realizada em 2012 e contou com a participação de 150 empresas, que foram selecionadas pela BMS para representar uma amostragem de varejistas.
O resultado completo do estudo contou com um total 300 entrevistados. A margem de erro é de 4,8% e o índice de confiança é 90%.

Fonte: Motorola Solutions

Usuários avaliam a implantação de tecnologias móveis que facilitam as compras

De acordo com um estudo de comportamento de consumo da Motorola Solutions na América Latina, a tendência de incorporar tecnologias móveis incentiva usuários a buscar informações por conta própria

De acordo com um estudo de comportamento de consumo da Motorola Solutions, Inc. (NYSE: MSI) na América Latina, 65% dos compradores preferem os postos de autoajuda nas lojas antes de uma compra assistida pelos vendedores, enquanto 63% dos representantes da geração X conseguem encontrar a informação que necessitam de forma mais rápida nos seus smartphones, do que consultar um vendedor na loja.

Essa é a razão pela qual as compras online aumentaram de 21%, em 2010, para 27%, em 2011. Dois terços dos usuários de smartphones gostariam de ter acesso Wi-Fi em seus dispositivos para buscar informações de produtos e postar enquanto fazem suas compras. Além disso, as aplicações tecnológicas nos dispositivos também foram avaliadas pela maioria dos pesquisados. O resultado aponta que 69% dos usuários admitem que gostariam de receber um recibo de compra eletrônica em seu e-mail, registrado tanto no seu dispositivo como na loja, com a finalidade de evitar a apresentação de um tíquete no caso de necessidade de troca de produto. O aplicativo de um mapa interno da loja resultaria em significativa melhora na busca por produtos, otimizando o tempo dos compradores e tornando a compra final mais eficaz.

O estudo de comportamento de consumo da Motorola Solutions para a América Latina (Holiday Shopper Survey) foi desenvolvido para revelar experiências e atitudes para a implantação de tecnologias em comércios varejistas, avaliar o autosserviço dos compradores e a conduta da compra online. O estudo foi realizado no México e no Brasil, em dezembro de 2011, pela agência de pesquisa TNS International, e contou com a participação de aproximadamente 400 consumidores. Continuar lendo

Tecnologias móveis são importantes para os negócios de nove em cada dez empresas do setor elétrico e serviços públicos

De acordo com o Barômetro de Mobilidade Empresarial da Motorola Solutions, a maioria das empresas do segmento afirma que o uso de tecnologias móveis e de banda larga sem fio se tornou mais relevante no ano passado

De acordo com o Barômetro de Mobilidade Empresarial da Motorola Solutions, Inc. (NYSE: MSI), 90% das empresas do setor de serviços públicos e energia da América Latina afirmam que a importância da utilização das tecnologias sem fio aumentou em 2011. Além disso, quando consultadas sobre investimentos nessas tecnologias, 56% afirmaram que os investimentos foram maiores que em 2010. Dos entrevistados, 76% concordam ao observar que a implementação dessas tecnologias traz vantagens competitivas, se comparadas com empresas de outros setores.

Por sua vez, 79% das companhias pesquisadas escolheram a redução do tempo de inatividade como o maior benefício relacionado com a adoção de tecnologias de mobilidade. Em segundo lugar, 71% mencionaram a redução de custos laborais por causa da automação dos processos, aumento de eficiência na produção e a diminuição de erros manuais como outros benefícios gerados pela adoção de tecnologia móvel.

O Barômetro de Mobilidade Empresarial da Motorola Solutions para a América Latina busca compreender como as organizações de diferentes mercados verticais utilizam as tecnologias móveis e saber quais são as principais tendências para o futuro, de modo a compreender as estratégias de negócios em um ambiente de crescente evolução tecnológica. O estudo incluiu organizações de países como Argentina, Brasil, Colômbia e México, as quatro principais economias, que representam 74% do Produto Interno Bruto (PIB) da região. Continuar lendo