Sistema de Comunicação para Portos

O principal desafio do mercado portuário na região é elevar seu desempenho e eficiência, assim como melhorar sua competitividade para alcançar nível internacional. Isto leva à necessidade urgente de adaptar, planejar e atualizar a infraestrutura portuária reparando-a para atender aos crescentes desafios comerciais, ao crescimento das operações, ao aumento progressivo do comprimento dos barcos de carga que exigem uma capacidade operacional cada vez maior, e às contínuas ameaças à segurança.

As prioridades para se atingir este objetivo incluem:

ESTABELECER COMUNICAÇÕES CONFIÁVEIS

Grande parte das instalações portuárias já têm instaladas bases de redes com fio que estão em uso há anos e ainda servem para comunicações de grandes ativos como guindastes de plataforma e edifícios dentro do porto. Mas hoje, os requisitos de tecnologia estão em constante evolução. É necessário adotar conectividade móvel confiável e contínua que admita os novos aplicativos atuais e do futuro em um ambiente propenso a interferências,
onde 15 minutos de interrupção na conectividade representa até 8 horas de
demora comercial.

ACELERAR A PRODUTIVIDADE OPERACIONAL E REDUZIR CUSTOS

Os portos passaram de simples estações de transferência de cargas para a função de pontos importantes da cadeia logística de transporte, importação, exportação e distribuição. Isto implica sua integração na cadeia produtiva e a movimentação do porto
com um enfoque logístico empresarial que acelere ou diminua o tempo de circulação e armazenagem da carga para atender à programação, mantenha controle permanente de ativos e contêineres e contribua para a redução dos custos, levando em conta que a perda de um contêiner representa até US$1 milhão em custos adicionais.

GARANTIR A SEGURANÇA PORTUÁRIA INTEGRAL

Manter o difícil equilíbrio entre segurança e eficiência, ou seja, sem interromper o fluxo das operações, não é tarefa fácil. A segurança portuária integral inclui proteção pessoal,
industrial e prevenção de riscos. Consiste em detectar, prevenir e responder a qualquer ameaça em tempo real; assegurar o conhecimento da situação em todas as áreas e aspectos
do porto; monitorar e proteger seu extenso perímetro e estar atento ao movimento dos estivadores. Mais dos 45% dos acidentes mais perigosos ocorrem pela congestão do terminal e pela sobrecarga dos contêineres. Os portos passaram de simples estações de transferência de cargas para a função de pontos importantes da cadeia logística de transporte, importação, exportação e distribuição. 

Fonte:oluapmot

ssp vai licitar sistema de radiocomunicacao digital em santa catarina

O serviço de radiocomunicação nas forças de segurança pública de Santa Catarina, que trabalham há 12 anos com o modelo analógico, vai enfim migrar para o digital. Em agosto, a SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado) montou uma comissão formada por integrantes das polícias Militar e Civil, do IGP (Instituto Geral de Perícias) e Deap (Departamento Estadual de Administração Penal), com o intuito de discutir as bases de um edital de licitação para o sistema digital. A comissão encerrará os trabalhos até o final de setembro. “A apresentação final indicará a melhor forma de fazer a licitação dos rádios para o sistema digital,

Fonte: ndonline

 

Motorola inaugura laboratório de missão crítica

 

A  Motorola Solutions anuncia a inauguração do Centro de Soluções de Missão Crítica líder na indústria. O laboratório de testes e a sala de demonstrações em tempo real, que contaram com investimento de € 1 milhão, estão instalados na sede central europeia da empresa no Reino Unido e foram criados para estimular a evolução das comunicações de missão crítica para organizações na área de segurança pública.
Entre os muitos cenários de testes representados no local estão os “serviços de emergência, que respondem a uma ameaça de bomba terrorista”. Dessa forma, as instalações foram especialmente projetadas para as necessidades dos novos aplicativos e serviços capazes de proporcionar suporte para os profissionais de emergência, responsáveis por garantir segurança pública nas ruas nos próximos anos.

Importância

As comunicações de missão crítica estão atravessando uma evolução marcante e, enquanto isso, os governos e as organizações de segurança pública começam a se preparar para receber o ambiente TETRA atual da tecnologia LTE, baseado em padrões 3rd Generation Partnership Project (3GPP). Com os Serviços de Dados Melhorados TETRA (TEDS), os primeiros a adotar TETRA já têm acesso aos serviços de dados de missão crítica, incluindo o serviço de vídeo para reconhecimento da situação. Para poder oferecer aplicativos de dados mais exigentes em termos de largura de banda, como vídeo de alta definição, e para admitir uso de dados mais intensificado, essas organizações de segurança pública procuram hoje atualizar suas redes e incorporar o LTE.

A Motorola Solutions continua trabalhando com seus parceiros e órgãos desenvolvedores de padrões com o objetivo de garantir a integração da funcionalidade de suporte de serviços de missão crítica ao LTE 3GPP. Esse processo já começou, e a expectativa é que continue até 2020.

Desde a primeira demonstração de aplicativos de Segurança Pública da Motorola Solutions sobre uma rede LTE em tempo real, em 2008, a empresa vem apresentando essa funcionalidade em soluções TETRA, permitindo que ambas as tecnologias possam funcionar conjuntamente, compartilhando dados entre si. Em 2013, a Motorola Solutions lançou o MTS4L, uma estação base combinada TETRA/LTE, e agora anuncia o dispositivo de mão de missão crítica de banda larga LTE LEX755. Enquanto estiverem sendo realizadas as modificações pertinentes nos padrões, esse processo será mantido.

Ao instalar um centro de comando e de controle operacional (Centro de Soluções de Missão Crítica) com banda larga móvel TETRA e LTE em tempo real, a Motorola Solutions oferece flexibilidade necessária para o desenvolvimento de aplicativos e serviços que permitam implementar tanto o TETRA quanto LTE de forma conjunta ou, então, o LTE como ambiente de segurança pública independente.

O Centro de Soluções de Missão Crítica da Motorola Solutions oferece um banco de testes para combinar voz e dados em operações de missão crítica conhecidas. A compilação de dados de câmeras, smartphones, redes sociais e sensores não oferece apenas diferentes níveis de inteligência para órgãos de segurança pública, mas também gera novos desafios. O Centro de Soluções de Missão Crítica da Motorola Solutions ajuda as organizações a concretizar operações capazes de administrar esse crescente fluxo de dados para poder, depois, extrair inteligência útil. Tudo isso pode ser aplicado para atender às demandas operacionais, replicadas nas instalações, como simulação de incidentes, alocação de recursos, mobilização, análise de informação e distribuição de inteligência em tempo real para administrar e, depois, controlar um incidente.

Fonte: Decisionreport

Samu do Paraná terá sistema de radiocomunicação digital

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Paraná vai migrar do sistema de radiocomunicação analógico para o digital a partir deste ano. A mudança vai melhorar a qualidade da transmissão de informações entre as centrais de regulação e as equipes que atuam no resgate e atendimento pré-hospitalar da população.

Os novos equipamentos estão sendo instalados em todas 183 ambulâncias e 12 centrais de regulação do Samu em funcionamento no Estado. Além disso, 80 antenas repetidoras vão garantir a cobertura do sinal digital em todo o território paranaense.

Segundo o coordenador de Urgência e Emergência da Secretaria estadual da Saúde, Vinícius Filipak, o sistema digital permite uma comunicação mais clara entre os profissionais, aumenta o alcance da cobertura do sinal e facilita o trabalho de localização das ambulâncias, visto que os aparelhos operam com GPS integrado.

“Desta forma, as centrais de monitoramento podem acompanhar o deslocamento das ambulâncias em tempo real, inclusive verificando as melhores rotas e calculando o tempo de chegada até o local de destino”, destaca o coordenador.

Outra diferença é que, diferente do sistema analógico, a transmissão digital só pode ser recebida por aparelhos previamente configurados, o que torna a comunicação mais segura e sigilosa. “Este tipo de frequência garante a confidencialidade das informações e acaba com a possibilidade de interferência”, informa Filipak.

Até agora, a radiocomunicação digital já foi implantada em Curitiba e Região Metropolitana, Foz do Iguaçu e Litoral. As próximas regiões beneficiadas serão Apucarana e Maringá. A intenção é finalizar esse processo de conversão até dezembro deste ano.

SERVIÇO – O Samu do Paraná atende pelo telefone 192 e está disponível em 289 municípios. Isso representa uma cobertura de quase 80% da população paranaense. A orientação é que o serviço seja acionado em casos de urgência, como casos de infarto, acidente vascular cerebral (AVC), hipertensão arterial e febre alta, cortes e fraturas, entre outros.

COMO FUNCIONA O SAMU:

• Ao discar o número 192, o cidadão acionará a central de regulação do Samu, que conta com profissionais de saúde treinados para dar orientações de primeiros socorros por telefone.

• São estes profissionais que definem o tipo de atendimento, ambulância e equipe adequada para cada caso. O Samu deve ser acionado em caso de urgência.

• Há situações em que basta uma orientação por telefone. Outras em que uma equipe de socorristas é deslocada para prestar o primeiro atendimento e encaminhar o paciente para a unidade especializada.

 

Fonte:bemparana

Estados trocam sistema de rádio analógico por digital em poucos meses

Em boa parte dos Estados brasileiros o sistema de radiocomunicação digitalé uma realidade a serviço da segurança pública. No Espírito Santo, por exemplo, desde 2010 Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros trabalham com radiocomunicação digital.

De acordo com o secretário de Segurança Pública André de Albuquerque Garcia, a implantação do sistema digitalizado levou apenas oito meses. “Não é algo tão complexo quanto parece. É preciso vontade e investimento”, diz.

O custo para implantar o sistema digital Espírito Santo foi de R$ 10 milhões, informa o secretário. Além dos rádios e estações foram instaladas torres de transmissão e transceptores fixos, móveis e portáteis. Segundo Albuquerque, os principais benefícios da digitalização dos rádios são a clareza e a confiabilidade na comunicação entre as tropas e o comando de cada unidade. “Antes fazíamos operação com o rádio desligado, para não sermos interceptados. Agora, ninguém nos ouve e podemos fazer nosso trabalho com eficiência”, observa.

Outros estados, como São Paulo, Pernambuco, Bahia, Paraná, Sergipe e Pará também utilizam rádios digitais para investigações e operações policiais.

Fonte:ndonline

Exército expande trial de LTE para o Rio de Janeiro

O Exército brasileiro anunciou a extensão do trial de LTE (Long Term Evolution), na frequência de 700MHz, para o Rio de Janeiro. O teste, que teve início em maio de 2012, em Brasília, com a Motorola Solutions mostrou os benefícios da utilização da tecnologia para a melhoria dos serviços públicos no País.

A expansão consistirá em um novo site, que será instalado no Palácio Duque de Caxias, e cobrirá a região do estádio do Maracanã e arredores, podendo também ser movido para atender às necessidades de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) do Exército, na “Operação São Francisco”, na região do Complexo da Maré.

Com isso será possível realizar testes de comprovação da tecnologia em situações práticas, com foco nas aplicações de transmissões de vídeo em tempo real em viaturas em movimento, além de ampliar as capacidades de comunicação de voz, possibilitar a interoperabilidade com redes comerciais e rádios padrão P25, e melhorar a qualidade do centro de operações (COP) do Exército, onde se terá acesso a uma quantidade maior de informações. O Exército também poderá acessar informações de comando e controle em qualquer região do Brasil, por meio de sua rede (EBnet).

O trial já possui outros quatro sites instalados em Brasília que cobrem toda a Esplanada dos Ministérios e áreas de interesse do Exército, como aeroporto, Estádio Mané Garrincha e infraestruturas críticas, possibilitando a utilização por outras agências de segurança da capital federal.

O teste continuará a ser comandado pelo centro do Exército em Brasília e haverá um link seguro, que fará a conexão das duas cidades. Também estão previstos testes com câmeras em motocicletas de batedores, que transmitirão informações em tempo real para o COP instalado no Comando Militar do Planalto (CMP).

O Exército entrará com o pedido na Anatel para a liberação do trial na faixa de 700 MHZ, que no momento não está sendo utilizada no Rio de Janeiro.

Fonte: Decision Report